Consulta alteração nos locais de votação pela ocupação em escolas públicas


Goiás

Em Goiânia (GO), em razão da ocupação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) pelo movimento estudantil, as sete seções eleitorais dessa unidade de ensino, com 1.287 eleitores, foram transferidas para o Colégio Santo Agostinho. Em Anápolis (GO), foi necessária uma alteração. As seis seções, com 2.294 eleitores, que funcionariam no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) foram transferidas para a Escola Municipal Cecília Meireles. Não há custo extra nestas transferências, de acordo com o TRE.

Espírito Santo

No Espírito Santo, por enquanto, foi necessário alterar dez locais de votação em razão das ocupações, sendo três em Vitória, seis em Serra, e um local em Cariacica, abrangendo o total de 130 seções eleitorais. No estado haverá segundo turno também em Vila Velha.

Em Vitória, os 814 eleitores que votam na Escola Almirante Barroso votarão, neste segundo turno, na Faculdade Multivix. Os 2.839 eleitores que votam na Escola Arnulpho Mattos votarão na Escola América (antigo Colégio Faesa). Os 5.133 eleitores que votam na Escola Irmã Maria Horta votarão, neste segundo turno, na Escola da Ilha Novo Mundo, localizada na rua Jayme Martins, nº 80, praia do canto. Ponto de referência: ao lado da Academia Hangar.

Em Serra, os 4.834 eleitores que votam na Escola Rômulo Castello votarão, no segundo turno, na FaSerra, situada na Rua L, nº 11, Bairro Rosário de Fátima. Os 8.169 eleitores que votam na Escola Aristóbulo Barbosa Leão votarão no CEDAF, situado na Rua Nelci Lopes Vieira, 199, Bairro Jardim Limoeiro. Os 3.486 eleitores que votam na Escola D. João Batista da Motta e Albuquerque votarão na Escola Elpídia Coimbra, situada na Rua 32, Bairro André Carloni. Os 6.594 eleitores que votam na Escola Marinete de Souza Lira votarão na Escola Abel Bezerra, situada na rua dos Eucaliptos, nº 589, bairro Feu rosa. Os 4.130 eleitores que votam na Escola Clóvis Borges Miguel (Santo Antônio) votarão na Escola Aldary Nunes (Serra Centro), localizada na rua Floriano Peixoto, nº 100. Os 4.714 eleitores que votam na Escola Clotilde Rato votarão na Escola Siena, localizada na av. Mário Batalha, 576, bairro de Fátima.

Em Cariacica, os 3.342 eleitores que votam na Escola Ana Lopes Balestreiro votarão, neste segundo turno, na Escola José Zacchi.

Pernambuco

No estado de Pernambuco, haverá segundo turno em Recife, Olinda, Caruaru e em Jaboatão dos Guararapes (PE). Em Recife, devido à ocupação de estudantes do Centro de Ensino de Graduação (Cegoe), as 11 seções da 5° Zona Eleitoral foram transferidas para o pavimento térreo da Faculdade CEAGRE II, sendo três delas no hall de entrada e outras sete nas salas ao longo do corredor principal do prédio. A mudança afetará 4.125 eleitores que votam naquele local.

Também na capital pernambucana foram transferidas outras 11 seções da 103ª Zona Eleitoral, inicialmente localizadas no Centro de Educação, para o pavimento térreo do Departamento de Hotelaria e Turismo, sendo metade delas nas salas de hotelaria e as demais nas salas de turismo. O prédio fica a aproximadamente 200 metros do local anterior ocupado e possui duas entradas. Votam nas seções 3.788 eleitores.

O eleitor pode consultar o local de votação de três formas, pela internet através do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos Tribunais Regionais, entrando em contato com a Central de Atendimento ao Eleitor ou pessoalmente no cartório eleitoral que está inscrito.

 

Sobre a ocupação das escolas

Se o protesto continuar, outra agenda nacional será afetada. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), prova do Ministério da Educação para chegar à universidade, também pode ser cancelado nas escolas ocupadas. O exame ocorre nos dias 5 e 6 de novembro. O ministro da Educação, Mendonça Filho, já pediu, na semana passada, que os estudantes saiam das escolas até a próxima segunda, dia 31. Caso contrário as provas não serão aplicadas nos locais que continuarem ocupados, o que deve atingir 95.000 alunos. “Faço um apelo aos estudantes do Brasil. Deixem os jovens se submeterem ao Enem”, disse o ministro. “O Estado brasileiro vai ter que arcar com os custos de uma nova prova”. Ele calcula que o gasto para a realização de um novo exame será de mais de 8 milhões de reais. Os estudantes, porém, parecem resistir aos apelos do ministro.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*