Corrupção sistêmica no Brasil: milhões na conta de Serra na Suíça

Resultado de imagen de jose serraA Odebrecht indicou os responsáveis pelo repasse de 23 milhões de reais pela empreiteira à campanha de José Serra na eleição de 2010. Parte do dinheiro foi transferida por meio de uma conta na Suíça.

O repasse no Brasil foi negociado com o ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ), próximo de Serra. No exterior, a negociação foi feita com o também ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB e hoje no PSD), que era da coordenação política da campanha de Serra.

O caixa dois foi mencionado por dois diretores da Odebrecht nas negociações de delação com a Procuradoria-Geral da República, em Brasília, e com a força-tarefa em Curitiba, Pedro Novis, ex-presidente do conglomerado, entre 2002 e 2009, e atual membro do conselho administrativo da holding Odebrecht S.A. O outro é o diretor Carlos Armando Paschoal, conhecido como CAP, que atuava no contato junto a políticos de São Paulo e na negociação de doações para campanhas eleitorais.

A Odebrecht garantiu que vai exibir os comprovantes de depósitos feitos na conta no exterior e também no Brasil.

Serra, atual ministro de Relações Exteriores, disse, por meio de sua assessoria, que “não vai se pronunciar sobre supostos vazamentos de supostas delações relativas a doações feitas ao partido em suas campanhas”.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*