Quase cem cidades com candidato único

Eleitores de 97 municípios tem apenas um candidato ao cargo de prefeito para votar no dia 2 de outubro.

Resultado de imagen de unique candidate

O Rio Grande do Sul é o estado com mais cidades com apenas um candidato à Prefeitura: 32. Em seguida, estão os estados de São Paulo (17), Minas Gerais (16), Paraná (14), Santa Catarina (5), Goiás (4), Mato Grosso (2), Paraíba (2), Ceará (1), Mato Grosso do Sul (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1) e Tocantins (1).

Estes são os municípios, por unidade da Federação, com apenas um candidato a prefeito:

CE: Jati
GO: Moiporá, Mutunópolis, São João da Paraúna e Vianópolis
MG: Bom Jesus da Penha, Carmésia, Carrancas, Comendador Gomes, Divisa Nova, Doresópolis, Espírito Santo do Dourado, Gameleiras, Guarda-Mor, Inimutaba, Jequitibá, Machacalis, Maripá de Minas, Ninheira, Porto Firme e Vargem Bonita
MS: Douradina
MT: Nova Mutum e Nova Xavantina
PB: Bernardino Batista e São Mamede
PI: Olho D’água do Piauí
PR: Altamira do Paraná, Araruna, Assis Chateaubriand, Bom Jesus do Sul, Brasilândia do Sul, Cidade Gaúcha, Itaguajé, Janiópolis, Miraselva, Santa Izabel do Oeste, Santa Mariana, São Jorge do Ivaí, São José da Boa Vista e Terra boa
RN: Lucrécia
RS: Almirante Tamandaré do Sul, Anta Gorda, Barra do Rio Azul, Barra Funda, Canudos do Vale, Carlos Gomes, Condor, Cotiporã, Crissiumal, Doutor Maurício Cardoso, Engenho Velho, Erval Grande, Estrela Velha, Ivorá, Lagoa dos Três Cantos, Mato Queimado, Nova Pádua, Novo Barreiro, Pejuçara, Pinhal, Porto Mauá, Protásio Alves, Putinga, Rodeio Bonito, Santo Antônio do Planalto, São José das Missões, São José do Herval, São José do Ouro, São Pedro das Missões, Tio Hugo, Vista Gaúcha, Westfália
SC: Caibi, Cordilheira Alta, Planalto Alegre, Salto Veloso e Tigrinhos
SP: Alto Alegre, Balbinos, Bocaina, Brejo Alegre, Itaju, Itaoca, Jales, Lucianópolis, Mira Estrela, Nova Granada, Ocauçú, Orindiúva, Pedreira, Santópolis do Aguapeí, Tupi Paulista, Valentim Gentil e Viradouro
TO: Itapiratins

Candidato único

  • “Eleição. Prefeito. Maioria de votos. Interpretação do § 2º, do art. 1º, da Lei nº 8.214/91. I – Serão considerados eleitos o prefeito e o vice-prefeito com ele registrado que obtiverem maioria de votos (art. 1º, § 2º, da Lei nº 8.214/91). Tal norma não exige maioria absoluta de votos. Mesmo que se tratasse de município com mais de duzentos mil habitantes, não caberia falar de segundo turno de eleições com candidatura única a prefeito. Além disso, no primeiro turno de qualquer forma não seria computados os votos em branco (CF, arts. 77, §§ 2º e 3º, e 29, II). II – Inocorrência de violação de lei ou dissídio jurisprudencial. […]”

    (Ac. nº 11.402, de 14.10.93, rel. Min. José Cândido.)

2 Comments

  1. Qual o motivo de tantos candidatos a prefeito já serem deputados federais? Sendo que eu fiz uma pesquisa e descobri que o salario de um deputado com todas as mordomias chegam ao valor absurdo de; $ 147.000,00(cento e quarenta e sete mil reais). E sendo que um deputado trabalha bem menos que um prefeito e cujo salario em uma cidade de porte médio não ultrapassa os $ 20.000,00(vinte mil reais).Tá NA HORA DE ACABAR COM ESSA SAFADEZA,FAZENDO UMA LEI QUE NO MOMENTO QUE O DEPUTADO SE LANCE A CANDIDATO ELE JÁ SEJA AUTOMATICAMENTE DESLIGADO DA CÂMARA E PERCA O MANDATO!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*